Conheça Sergipe

História


Os primeiros indícios da ocupação humana do território que hoje corresponde ao estado de Sergipe são datados de 9.000 a.C. A análise dos achados arqueológicos desses povos, como arte rupestre, ossos, cerâmicas e outros artefatos,[10] permitiu aos historiadores classificá-los em três culturas ou tradições: canindé, aratu e tupi-guarani.

Na segunda metade do século XVI teve início a colonização do estado com a chegada de navios franceses onde os seus tripulantes trocavam objetos diversos por produtos da terra (pau-brasil, algodão, pimenta-da-terra).

Entre o final do século XVI e as primeiras décadas do século XVII, a atuação dos missionários e de algumas expedições militares afasta os franceses e vence a resistência indígena. Ocorre grande miscigenação entre portugueses e índios.

Garcia d’Ávila, proprietário de terras na região, iniciou a conquista do território. Contava com a ajuda dos jesuítas para catequizar os nativos. A conquista deste território e sua colonização facilitariam as comunicações entre Bahia e Pernambuco e impediriam também as invasões francesas.

Surgem os primeiros povoados, como o arraial de São Cristóvão. Originário do povoado de São Cristóvão, a capitania de Sergipe D’El-Rey foi colonizada em 1590 após a destruição de indígenas hostis e Sergipe começa a explorar o açúcar. A existência de áreas inadequadas à plantação de açúcar no litoral favorece o surgimento das primeiras criações de gado. Sergipe torna-se, então, um fornecedor de animais de tração para as fazendas da Bahia e de Pernambuco. Houve também uma significativa produção de couro.

Quando das invasões holandesas, na primeira metade do século XVII a economia ficou prejudicada, vindo a se recuperar em 1645 quando os portugueses retomaram a região. O território, que na época fazia parte da Bahia, foi responsável em 1723 por um terço da produção de açúcar da Bahia.

As circunstâncias da Independência do Brasil serviram para que a decisão da Carta Régia de 8 de julho de 1820 fosse confirmada e referendada por Pedro I, que chegou a elevar, novamente, São Cristóvão à condição de cidade, para ser a capital de Sergipe. A Constituição do Império, que é de 1824, colocou Sergipe entre as Províncias do Brasil, consolidando a Emancipação de 8 de julho de 1820. 8 de julho de 1820 tem sido convertido no símbolo da liberdade, da independência, da autonomia econômica, da construção da sociedade sergipana.

Com a Proclamação da República, passou a ser Estado da Federação tendo sua primeira Constituição promulgada em 1892.

O quadro permanece assim em todo o primeiro período republicano, com setores das camadas médias urbanas sendo as únicas forças a enfrentar a oligarquia local, como nas revoltas tenentistas em 1924.


Geografia


Relevo

Cerca de 85% do território está a menos de 300 m de altitude, com predominância de terras planas ou levemente onduladas. As poucas e maiores elevações constam-se em serras e colinas mais próximas à fronteira com o Estado da Bahia, como é o caso da Serra Negra, no município de Poço Redondo, onde localiza-se o ponto mais alto do Estado, com 742 metros de altitude.


Hidrografia


São Francisco, Vaza-Barris, Sergipe, Japaratuba, Piauí e Real são os rios principais (veja a lista de rios de Sergipe).

O estado encontra-se com 47,26% de seu território dentro do polígono das secas, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.


Clima

O clima é tropical, mais úmido próximo ao litoral (pluviosidade média anual de 1600 mm na capital, com maior intensidade de chuvas entre março e julho) e semiárido no sertão. Em algumas ocasiões, a seca no Oeste do estado pode se prolongar por quase um ano.


Demografia

Segundo estimativas de 2013 da ONU, Sergipe possui a cidade (Aracaju) com o melhor IDH da Região Nordeste, registrando na pesquisa um IDH de 0,770, apesar disso, o estado que está em 20ª lugar (IDH 0,665 - médio) fica atrás dos Estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. Espera-se que dentro de alguns anos seja o primeiro do nordeste com uma cidade a entrar no grupo com IDH muito alto, categoria onde só estão inseridos até agora cidades das regiões SU, SE e CO.


Religiões

De acordo com o censo demográfico de 2010, da população total do estado, existiam 1 579 480 católicos apostólicos romanos, 243 330 evangélicos, 22 266 espíritas, 14 755 Testemunhas de Jeová, 6 500 outras religiosidades cristãs, 5 394 católicos apostólicos brasileiros, 4 371 umbandistas e candomblecistas, 2 326 mórmons, 709 católicos ortodoxos, 509 budistas, 501 espiritualistas, 493 esotéricos, 435 pertencentes a tradições indígenas, 433 novos religiosos orientais, 184 judaístas e 22 islâmicos. Existiam ainda 177 620 pessoas sem religião, 5 005 com religião indeterminada (mal definida) ou múltiplo pertencimento, 3 240 não souberam e 405 não declararam.


Etnias

Dados do PNAD revelou que a composição étnica da população sergipana corresponde a: Pardos (63%), brancos (30%), Negros (5%), Indígenas (1%), e outros (1%).


Lazer Público


Oceanário de Aracaju.

Em várias cidades do estado, as praças, localizadas principalmente no Centro, são os principais lugares onde as pessoas costumam se reunir para descansar e conversar.

Na cidade de Japaratuba, há o Banho do Prata, nascente de águas cristalinas, onde nos finais de semanas, há a reunião de várias pessoas. Em Aquidabã encontramos a Lagoa do Vigário centro de entretenimento regional. Sua nova orla atrai os jovens da cidade e pode-se presenciar no final da tarde um dos mais belos pôr do Sol do estado.

Já na capital, além de praças localizadas em diversos bairros e conjuntos, há também os parques públicos, que são vastas áreas verdes, com muitas plantas e árvores e em um deles, o maior da capital, há ainda um zoológico, com várias espécies de animais.

Os principais parques são o Parque da Sementeira (Bairro Jardins), Parque da Cidade (Bairro Industrial) e o Parque dos Cajueiros (Coroa do Meio).


Cinema

Em Sergipe existem três complexos de cinemas localizados na capital do estado, dois pertencentes à rede Cinemark, e o Cine Vitória localizado no Mini Shopping Rua do Turista.

No dia 25 de janeiro de 2013, foi inaugurado o primeiro complexo de cinemas fora da capital, localizado no shopping de Nossa Senhora do Socorro.

A cidade de Nossa Senhora da Glória será a terceira cidade do estado a ter salas de cinema.


Atualmente

Cinemark - Shopping Jardins (9 salas) Digital e 3D

Cinemark - RioMar Shopping (5 salas) Digital e 3D

Cinesercla - Shopping Prêmio (4 salas) Digital e 1 sala 3D - Cidade: Nossa Senhora do Socorro

MobiCine - Avelan Shopping (2 salas) Digital e 1 sala 3D - Cidade: Nossa Senhora da Glória

Cine Vitória - Mini Shopping Rua do Turista (1 sala)


Teatro

Eventualmente, são encenadas peças teatrais em Sergipe, são apresentações de grupos locais e também de sucessos de público nacionais. Os teatros mais importantes do estado são o Teatro Tobias Barreto, O Teatro Lourival Batista e o Teatro Atheneu, este último foi aberto depois das reformas.


Festas e eventos

O Forró caju é um dos maiores eventos juninos do nordeste do Brasil,[carece de fontes] com cerca de 140 atrações locais e nacionais reunidas durante 14 noites na praça de eventos entre os mercados Albano Franco e Thales Ferraz. O evento é gratuito e faz parte do calendário junino brasileiro. Organizada pela Prefeitura de Aracaju, a festa atrai um público de 1 milhão de pessoas em cada edição.

Criado em 1992, o Pré-Caju é uma prévia carnavalesca que reúne bandas de axé, pagode e outros ritmos, e que acontece anualmente na capital Aracaju. É considerado um dos maiores eventos desse tipo no Brasil[carece de fontes] e faz parte, oficialmente, do calendário turístico e cultural da cidade desde 1993.[50] Outras micaretas famosas são: o Micabã e a Festa de Senhora Sant´ana ambos realizados no município de Aquidabã e a Micarana, no município de Itabaiana. Há também a Festa de "Zé Pereira" comemorada no Carnaval, na cidade ribeirinha de Neópolis, que faz divisa com Penedo, Alagoas, que ocorre em todos os dias de carnaval; acompanhada de músicas carnavalescas toda a população brinca, um melando os outros com diversas coisas.


Turismo


Cidades Históricas

Praça São Francisco na cidade histórica de São Cristóvão.

Outro ponto turístico do estado, é a cidade de São Cristóvão, quarta cidade mais antiga do país, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde janeiro de 1967, preserva prédios históricos e conta com vários museus onde há importantes partes da história sergipana. Recentemente a Praça São Francisco, tornou-se Patrimônio Cultural da Humanidade.

Outra cidade histórica de Sergipe, é o município de Laranjeiras, conhecido por também possuir construções antigas que aos poucos estão sendo recuperadas, alguns desses prédios são igrejas datadas dos séculos XVII e XVIII, como por exemplo a Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus. O municipío também é conhecido por seus eventos culturais, como por exemplo o Encontro Cultural de Laranjeiras, o qual conta com teatro de rua, grupos folclóricos, cordel, palestras, seminários e bandas culturais e populares.

A cerca de seis quilômetros da sede do município de Japaratuba, encontra-se o Banho do Prata, uma nascente de águas cristalinas onde as pessoas podem banhar-se nas águas do Rio do Prata, recomenda-se logo após, saborear a moqueca de peixe em um dos quiosques ou acampar com amigos. Outro ponto turístico importante da cidade é a Gruta do Capim Branco, localizada próximo ao povoado São José. A gruta serviu de refúgio para os índios das redondezas no período da colonização dessas terras. O local também é conhecido como Gruta da Mulata. Um fato interessante são as raízes que caem dentro da caverna, em um formato que mais parece com um provador de roupas. A luz que vem da superfície provoca um imagem ainda mais surpreendente.

Ainda no município de Japaratuba, há a Festa das Cabacinhas, a mais tradicional das festividades da cidade, sempre realizada na primeira semana de Janeiro. Nessa festa, o intuito é acertar os participantes com a cabacinha onde coloca-se água.


Praias

Orla de Atalaia em Aracaju.

No estado, há diversos atrativos turísticos[51], começando pela capital, Aracaju, com destaque para suas praias, como as de Atalaia, Aruana, Refúgio, Náufragos, Robalo e Mosqueiro, todas no litoral sul de Aracaju. Caueira no município de Itaporanga d Ajuda ao Sul e para Pirambu a trinta quilômetros ao norte de Aracaju, que conta com uma base do Projeto Tamar cujo acesso ficou facilitado pela construção no ano de 2006 da Ponte Construtor João Alves, que liga a capital Aracaju ao município de Barra dos Coqueiros. Esta tem destaque o povoado chamado Atalaia Nova, que é banhado pelo rio Sergipe e pelo oceano Atlântico, proporcionando excelente lazer e diversão, num local de tranquilidade e bastante contato com a natureza.


Cânion de Xingó

Cânion de Xingó, no Rio São Francisco.

A cidade de Canindé de São Francisco, distante 186 quilômetros da capital, é um dos pontos turísticos mais atrativos do estado de Sergipe. Aqui, o Rio São Francisco foi represado para a construção da Usina Hidrelétrica de Xingó, formando um lago de raríssima beleza. Além disso, o turista pode entrar em contato direto com a história da civilização local através dos achados que estão expostos à visitação pública no Museu de Arqueologia de Xingó, que é administrado pela Universidade Federal de Sergipe. A visita ao "Paraíso do Talhado" no lago da hidrelétrica é obrigatória a todos aqueles que vão conhecer o Cânion de Xingó, que se situa na divisa dos estados de Sergipe , Bahia e Alagoas.


Forró Caju

Um dos maiores eventos juninos do nordeste do Brasil, com cerca de 140 atrações locais e nacionais reunidas durante catorze noites na praça de eventos entre os mercados Albano Franco e Thales Ferraz. O evento é gratuito e faz parte do calendário junino brasileiro. Organizada pela Prefeitura de Aracaju, a festa atrai um público de 1 000 000 de pessoas em cada edição.

A partir de 2001, o Forró Caju se consolidou como uma das maiores festas de Sergipe e do Brasil. A partir daí, a riqueza das tradições culturais de Aracaju foram apresentadas aos brasileiros e chegou-se ao formato atual de megaevento, com estrutura de ponta, praça de alimentação, camarotes, mini-hospital, programação extensa, diversificada e de alcance nacional. Como uma programação alternativa que incluiu apresentações folclóricas, trios pé-de-serra, quadrilhas e até professores de dança para ensinar o autêntico forró aos turistas e demais interessados em aprender o ritmo mais popular do Nordeste. Tal festa reúne todos os segmentos da população além de um grande número de turistas. Por dia, passam cerca de 150 000 pessoas na festa. Como tenta atender aos vários gostos e culturas, mescla, em suas atrações, desde trios de forró pé-de-serra e um forró raiz, como Dominguinhos, Elba Ramalho e Alceu Valença, passando pela nova geração do forró, caracterizado por um som mais eletrificado (daí ser conhecido como "forró eletrônico"), tendo, como expoente de tal segmento, as bandas Aviões do Forró, Calcinha Preta, Cavaleiros do Forró, entre outros.



 topo

Seja visto por centenas de pessoas diariamente

Cadastre-se agora mesmo em nosso guia comercial, conheça agora mesmo nossos planos !